Quem sou eu

Minha foto
Poeta - escritor - cronista - produtor cultural. Professor de Português e Literaturas. Especialista em Estudos Literários pela FEUC. Especialista em Literaturas Portuguesa e Africanas pela Faculdade de Letras da UFRJ. Mestre em Literatura Portuguesa pela UFRJ. Nascido em Goiás, na cidade de Rio Verde. Casado. Pai de três filhos.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Poema: Entre amigos - Erivelto Reis

Entre amigos


Erivelto Reis

Oi, meu amigo.

Não perca seu sorriso espontâneo,

Sua timidez romântica...

Acredite que simpatia recíproca,

Nem sempre é amizade instantânea.

A vida, às vezes prega peças:

E eu quero ver você muito feliz.



Oi, caro amigo,

Não jogue suas opiniões pela janela

Não brigue, machuque e magoe por causa delas.

Deixe claro como você pensa,

Com leveza, gentileza e com promessas

De que a amizade vai fazer superar diferenças.

Nada de ofensas!



Olá, prezado amigo:

Não sou exclusivo e também tenho outros amigos

Mas não o excluo ou o envergonho, se distante.

Mesmo afastados, se amigos,

Ao nos vermos, nos falarmos, nos reencontrarmos,

Nos amamos como antes.



Cuidado, amigo!

Que o silêncio é uma dúzia de surpresas

Não é ausência, sonolência, desprezo,

Divergência, desrespeito, condolência,

Prepotência, inexperiência, inveja,

Arrogância, deselegância ou distância...

Pode ser apenas uma forma de contemplação.



Amigo...

Tenho a impressão que amizade tem disfarces:

É a mão sem tato, confortando sua mão.

É o beijo do vento alcançando sua face.

Como se o tempo entre os amigos não passasse,

Como se a dor não os atingisse,

Como se laços invisíveis os unisse.



Querido amigo,

Os sorrisos são os guizos do amor.

Que haja, em nossa amizade, sempre risos,

Sempre humor. E que você construa o seu caminho,

Com o bem, a verdade e a tolerância sem medida.

Vamos andando, amigo, vamos juntos:

Obrigado por fazer parte da minha vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário