Quem sou eu

Minha foto
Poeta - escritor - cronista - produtor cultural. Professor de Português e Literaturas. Especialista em Estudos Literários pela FEUC. Especialista em Literaturas Portuguesa e Africanas pela Faculdade de Letras da UFRJ. Mestre em Literatura Portuguesa pela UFRJ. Nascido em Goiás, na cidade de Rio Verde. Casado. Pai de três filhos.

domingo, 2 de dezembro de 2012

Poema: Reboco - Erivelto Reis


REBOCO
Erivelto Reis

Meu pai construía uma casa que não acabava nunca
Tijolos aparentes, reboco reticente.
Não acabava nunca a construção da casa,
Mas meu pai se acabava, todo dia um pouco

Faltava dinheiro pro cimento
Pra ferragem, pro tijolo...
Estávamos todos juntos
Mas meu pai se acabava todo dia um pouco.

Perseverar era o que mais fazíamos
Embora não conhecêssemos a palavra.
Não conhecer certos vocábulos
Nos envergonhava menos do que
As verdades que não dizíamos .
Mas meu pai se acabava todo dia um pouco.

Permanecíamos atentos
Vendo a casa ser erguida, terminada
Mas não vimos meu pai padecer.
Ladrilhamos a casa, desfizemos o lar...
Brigamos por ela,
Pela casa terminada que meu pai
Nunca chegou a conhecer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário