Quem sou eu

Minha foto
Poeta - escritor - cronista - produtor cultural. Professor de Português e Literaturas. Especialista em Estudos Literários pela FEUC. Especialista em Literaturas Portuguesa e Africanas pela Faculdade de Letras da UFRJ. Mestre em Literatura Portuguesa pela UFRJ. Nascido em Goiás, na cidade de Rio Verde. Casado. Pai de três filhos.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Poema: "Pequeno tratado das incompreensões do nada" - Erivelto Reis

Pequeno tratado das incompreensões do nada
Erivelto Reis
A Manoel de Barros e seus (ím)pares

Incrível como um dia,
De repente fica despássaro!
O desuso da palavra
Supera até seu ma-(u)-so...
Descentrado choro:
O fim de todos os desapontamentos!
O poeta que passa,
Sem tirar o ás que carrega na manga,
Desbotado – desabado – descabido.
Ausência é etiqueta
De sonho desfeito.
Manoel; Konder; Primitivo;
Junqueira; Ubaldo e Suassuna...
E todos os morfemas que subverteram,
Inventaram?!
E todos os léxicos que desafiaram?!
E todos os sentidos que semearam.
Lavraram palavras...
É lícito pensar que nos dias que seguem
A ameaça da perda é trapaça
É pedra dura na vidraça.
Comovidos
Homens

Incumbidos de colorir (des) graças.

Um comentário: