Quem sou eu

Minha foto
Poeta - escritor - cronista - produtor cultural. Professor de Português e Literaturas. Especialista em Estudos Literários pela FEUC. Especialista em Literaturas Portuguesa e Africanas pela Faculdade de Letras da UFRJ. Mestre em Literatura Portuguesa pela UFRJ. Nascido em Goiás, na cidade de Rio Verde. Casado. Pai de três filhos.

domingo, 29 de maio de 2016

Poema: "27-5...", poema de Erivelto Reis

27-5...
Erivelto Reis
Para minha esposa, Gloria Regina,
em nosso 22º aniversário de casamento

Gloria Regina,
Meu amor eterno amor meu,
Obrigado por me fazer assim:
Demais feliz!
Saiba que eu sou completamente seu.
Tenho certeza de que você,
É tudo o que eu sempre quis.
Contando os anos que vivemos
Bem casados, já são 22!
Mas sei que o universo
Registrou em sua história,
Desde sempre,
Uma página pra nós dois.
Fique ao meu lado e me beije,
Dê-me o seu abraço quente,
Gostoso e bem apertado.
Quero, para sempre,
Ser o seu namorado.
Minha amada Gloria Regina,
Minha musa, minha paixão:
Quem me olhar,
Vai enxergar a sua imagem
Tatuada em minha retina,
Pois ela está marcada,
Compassada, cristalina,

Nas batidas do meu coração.

Poema: "Cra-Xá", de Erivelto Reis

Cra-Xá
Erivelto Reis
És um ser de muitos ardis,
Íntimo do protocolo dos covis,
Inimigo íntimo dos bem-te-vis,
De quem é feliz.
Próximo, muito próximo,
De outros seres vis:
Teus iguais,
Inúteis...
Tanto sonsos
Quanto vós.
Tu tens teus falsos perfis,
E destilas com requinte teus licores
De fel e anis.
Lícito que sejas quem és?...
Talvez!
Uma hora chega tua vez.
Negam-te o que desejas,
A cadeira a que almejas,
Tens um bolo sem recheio e sem cerejas...
Uma mesa de banquetes de ausências.
Supões poder...
Vai-se o poder!
Deixa-te coisas fúteis:
Espelho do que vós sois...
Que não me venhas a dizer
Que vos não avisei, depois.