Quem sou eu

Minha foto
Poeta - escritor - cronista - produtor cultural. Professor de Português e Literaturas. Especialista em Estudos Literários pela FEUC. Especialista em Literaturas Portuguesa e Africanas pela Faculdade de Letras da UFRJ. Mestre em Literatura Portuguesa pela UFRJ. Nascido em Goiás, na cidade de Rio Verde. Casado. Pai de três filhos.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Poema: "Consolo pela Filosofia", de Erivelto Reis

CONSOLO PELA FILOSOFIA

Erivelto Reis

Hamurabi e seu código rasurado...
Zoroastro,
Mantra, Maat pela metade,
Dharma, Samsara,
Chacras, Karma,
Resiliência, insanidade,
Amor, ficção, realidade.
Ó, infernal invenção dos sumérios:
“Pólvora” dos fenícios, “Windows” de Gutemberg...
Emprestaram sílabas e vogais a todas as dores que nos perseguem!
Escrever é sobre isso, nada mais.
Fênix, Ressurreição,
Reencarnação, Nirvana,
Sísifo, martírio de todos os mitos,
Ciclo:
Físico, espiritual
Infinito.
Escrevo sobre coisas
De que não me lembro.
Não é o tempo que detém a vida,
É a vida que preenche o tempo.
Saudade nunca foi coisa banal!
Mnemônica inércia do passado:
Num dia de chuva ou observada num pôr-do-sol ocasional.
Café, açúcar mascavo,
Biscoito de maisena,
Bolo fatiado...
Página de livro,
Verso de um poema,
Palavra:
Tudo que não é você,
É símbolo, Primitivo,
De quando você estava
Ao meu lado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário