Quem sou eu

Minha foto
Poeta - escritor - cronista - produtor cultural. Professor de Português e Literaturas. Especialista em Estudos Literários pela FEUC. Especialista em Literaturas Portuguesa e Africanas pela Faculdade de Letras da UFRJ. Mestre em Literatura Portuguesa pela UFRJ. Nascido em Goiás, na cidade de Rio Verde. Casado. Pai de três filhos.

quarta-feira, 1 de março de 2017

Poema: "Vendeta", de Erivelto Reis

VENDETA...
Erivelto Reis
Para Cícero César e Flávio Pimentel

Se Rosa estivesse aqui,
Eu perguntaria que raio de travessia é essa?!
Daria à Ana Cristina o que é de César!
Na certa, haveria uma esquina, um beco, uma sombra...
Alguém manipulando, com sutileza,
A heresia da gentileza do carrasco no cadafalso da porta da igreja.
Um rio de correnteza, que mostra como superfície
O que, bem lá no fundo, nunca foi razoável.
Se Rosa estivesse aqui...
Mas é pouco provável.
Nenhum Wilde, Dante,
Nenhum Cervantes, nenhum Huxley,
Nenhum Kafka, nenhum Camões,
Nem Adélia, nem Florbela,
Podem conter o fervor de preces e orações
De qualquer Pessoa,
E os seus heterônimos de amor e fúria.
Pergunte a quem pertence à cúria.
Eles sabem que o poder
É a melhor parte da loucura.
Se Rosa estivesse aqui...
Que Bandeira hastearia?
De Paz, de Camus,
Ora, Eça, nem me peça explicações: diria Régio
Que tudo isso se resume
A porra de um romance de António Lobo Antunes.
De Barros a Borges,
Leitores seriam fantoches
Que se assustariam com os deboches da vida:
Os atentados, os refugiados...
As Torturas dramáticas do cotidiano.
A morte de gente de bem fazendo estrago,
Permitida por gente mal...
Denunciada com a vidência da clareza de Assis e de Saramago.
Nenhum poema de Gabriela Mistral,
Nem a doçura de Neruda faria cessar essa dor aguda.
Dando na ponta o soco que trespassa a lança...
Vai ver o mundo é o sertão
E todo mundo é Riobaldo,
E Diadorin já morreu mesmo...
E, sei lá, se nunca houve céu!
E o pacto foi completado...
E agora o mundo é o diabo,
Com a faca tinindo,
Riscando destino
E cobrando a conta.
Tem mais silêncio no mundo,

Mas a vontade é tanta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário